História do Maia MG Clube

Seria impensável que a memória desta notável carreira nascida do génio Cecil Kimber e nas páginas anteriores considerada, pudesse cair no esquecimento de quem algum dia teve o privilégio de possuir um MG.  O lamentável interregno de cerca de 15 anos na sua produção mercê de critérios comerciais ainda hoje  discutíveis, não fez esquecer o prestígio atingido pela marca do octógono e a sua lenda, passada de pais a filhos mantém-se viva como se prova pelo entusiasmo atual do restauro, aquisição e utilização de MGs, com flagrante reflexo na sua crescente valorização comercial.

O consequente crescimento do número de entusiastas depressa se generalizou entre nós por volta dos anos 70/80 a exemplo do que já vinha acontecendo em todo o mundo onde o interesse de colecionadores, museus e outros movimentos associativos se tornou notório.

Entre nós a existência há 25 anos do MG Clube de Portugal, sedeado em Lisboa e naturalmente vocacionado para circunscrever as suas atividades à região sul, não nos prporcionava, sob o ponto de vista associativo, motivações de adesão.

Assim nasceu no espírito e vontade de um pequeno grupo de amigos, o sonho de organizar um clube de caráter regional, totalmente independente, e capaz de responder de forma eficaz aos desígnios dos seus associados.

Algumas reuniões e dois passeios de convívio, bastaram para definir a sua estrutura, princípios e finalidades, e avaliar a viabilidade da sua concretização; em breve se estabeleceram estatutos que fundamentalmente consagraram o restauro e preservação dos MGs, a organização de conferências, o aconselhamento técnico, bem como os passeios e reuniões de convívio, procurando honrar por todos os meios disponíveis as tradições que os acompanham de longa data.

Para tal muito contribuiu o interesse manifestado por este projeto, por parte da Câmara Municipal da Maia, cedendo instalações apropriadas no seu Fórum Jovem, o que permitiu a rápida fundação do Clube por escritura pública no 1º Cartório Notarial do Porto, em 18 de fevereiro de 1997, tendo assinado pelo Clube os três sócios fundadores, Arnaldo Carrapatoso, José Moreira e Rui Martins.

Na sua inauguração em Sessão Solene no Auditório do Fórum Jovem sob a presidência do Senhor Dr. Vieira de Carvalho, à data presidente daquela Edilidade, e na presença de numerosa assitência, tomaram posse os órgãos diretivos previamente eleitos entre dezoito sócios à data existentes.